A resistência 13 de maio

“A 13 é um patrimônio de Curitiba. Algumas pessoas achavam que aqui não tinha negros e aí surge a 13. São 129 anos de glória, trabalho e resistência”, diz Álvaro da Silva, presidente da Associação Operária Beneficente 13 de Maio

Por Anelize Visin

Histórico, o dia 13 de maio marca o fim da escravidão no Brasil. E em Curitiba 13 de maio também é sinônimo de diversão e, acima de tudo, resistência.

A Sociedade Operária Beneficente 13 de Maio foi fundada há quase 130 anos por ex-escravos. A missão era amparar os negros que não sabiam o que fazer ao conseguirem a liberdade com o fim do regime de escravatura no país. No terreno doado pela prefeitura em 1888, em uma rua nas proximidades do centro da capital paranaense, foi criada a 13. Hoje, reconhecida como a primeira sociedade negra do Paraná e a terceira mais antiga do país.

Nos últimos anos, a 13 precisou passar por reformas, devido às más condições das instalações (Foto: Anelize Visin)

Pelas antigas atas é possível conhecer as várias dificuldades que a 13 superou e quando encontrou sua melhor fase. Hoje a sociedade se mantém com locações do salão e colaborações voluntárias dos associados, que giram em torno de 30 a 40 pessoas – em sua maioria netos e bisnetos dos fundadores. Mas a grande atração são as  tradicionais festas de forró e samba que acontecem todos os sábados e domingos.

O mais famoso baile da Sociedade é o Forró com Areia Branca, onde o grupo curitibano tem lotado a casa todos os domingos há quase dez anos  ao som do mais tradicional forró. Segundo Renato Rocha, um dos organizadores de eventos da 13 e músico do Areia Branca, “os eventos são bem variados, desde apresentações culturais a shows, geralmente de bandas com música brasileira”.

O público que frequenta a Sociedade é variado: de jovens e universitários até pessoas mais velhas. Em muitos finais de semana a casa atinge sua capacidade máxima de 400 pessoas e ainda sobram filas de pessoas virando a esquina. “Na 13 não existe preconceito. É a casa do negro, mas todos são muito bem vindos”, declara o atual presidente Álvaro da Silva, no comando da Sociedade nos últimos 40 anos.

Silva, hoje com 70 anos, reconhece as conquistas do clube, mas sonha em ir mais longe e busca parceiros para oferecer cada vez mais atividades para a comunidade. A 13 já oferece aulas de capoeira e tem projetos para ocupar suas tardes com cursos de costura e até uma creche. “A negrada lá de cima dá uma força, faz um axé para dar tudo certo”, fala o presidente aos risos.

Álvaro da Silva está no comando da 13 de maio há 40 anos; antes disso seu pai presidiu a Sociedade por mais 30 anos (Foto: Anelize Visin)

Ele conta que já houve pressão para tornar o clube exclusivo para negros, mas garante que vai seguir a tradição. “As pessoas falam que se sentem bem aqui, não vou impedir isso”, decreta e conclui: “a 13 é um patrimônio de Curitiba. Algumas pessoas achavam que aqui não tinha negros e aí surge a 13. São 129 anos de glória, trabalho e resistência”.

A Sociedade 13 de maio completa 130 anos em 2018 e planeja uma grande festa, como de costume, com muito forró, samba e alegria.

 

 

 

 

SERVIÇO

Eventos e atividades são realizados na Sociedade Operária Beneficente 13 de Maio

Endereço: Rua Desembargador Clotário Portugal, 274, Centro – Curitiba/PR

Horários: Forró com Areia Branca: Domingo a partir das 20h30

                 Roda de Samba (ocasionalmente outros ritmos): Sábado a partir das 22h

Ingressos: cerca de R$ 15,00

Mais informações: (41) 9 9938-9510

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *