Bate-papo sobre intercâmbio tem grande adesão entre alunos na Semana Acadêmica de Comunicação Social

Muitas histórias formaram o clima de descontração que marcou o Bate-Papo com Intercambistas na última sexta-feira, 10, na Semana Acadêmica de Comunicação Social da UFPR. Diversos estudantes do curso que desejam ingressar no programa de mobilidade acadêmica promovido pela Assessoria de Relações Internacionais (ARI), da UFPR, compareceram e puderam esclarecer diversas dúvidas com a organizadora e coordenadora do curso Rosângela Stringari e também com os próprios alunos que já vivenciaram o programa.

Quem estava lá para contar sobre como foi  participar dessa experiência foram os alunos André Volpato, que foi para Granada, na Espanha, Luiza Lass, que morou em Rennes, na França, Maryani Fuzetti e André Nunes, que foram para Grenoble, também na França.

André Nunes, ao centro, divide suas experiências da França durante bate-papo sobre intercâmbio.
André Nunes, ao centro, divide suas experiências da França durante bate-papo sobre intercâmbio

Para a estudante Luiza, a burocracia que envolve a viagem, apesar de grande, é perfeitamente explicável. Segundo ela, a UFPR proporciona um intercâmbio acessível pois facilita todos os trâmites entre universidades, além do aluno não precisar pagar a faculdade lá fora, o que é algo bem caro. “Quando eu comecei, eu sabia que queria agarrar essa oportunidade, e consegui”, conta.

Tanto ela como Maryani, destacaram a importância de se estar aberto à cultura do outro país para o aprendizado pessoal. “Cada país tem seus clichês, e a França tem vários: que eles são mal-humorados ou que são fedidos, mas na verdade, não é assim: você encontra de tudo e você tem que ter respeito pelas pessoas para querer ser respeitado”, disse Luiza. Maryani complementa: “É importante ter a mente aberta para conhecer a cultura de outro país, assim, você consegue aprender muito mais”.

Mariana Caxambu, estudante do quarto período de Relações Públicas e participante do bate-papo, fez intercâmbio durante o ensino médio para Copenhague, na Dinamarca, e destaca a importância de ter essa experiência para construir a própria personalidade. “Além da cultura, o intercâmbio faz você sair da sua bolha, é uma questão de autoconhecimento: você aprende a ser mais tolerante, mais paciente e a respeitar as diferenças”, afirma. Mariana ainda pretende fazer outro intercâmbio durante o curso, mas dessa vez para os Estados Unidos. “Eu já fui para a Europa, então quero conhecer um continente diferente”, ela explica.

Quer fazer intercâmbio pela UFPR?

Para se inscrever em algum programa de mobilidade da Universidade, acompanhe os editais publicados pela Assessoria de Relações Internacionais no site www.internacional.ufpr.br. Você também pode tirar várias dúvidas do cotidiano do intercambista no blog que o aluno André Nunes criou durante sua estadia na França: diariodeumjornalistanerd.blogspot.com.br

You May Also Like