Consumo excessivo de sal pode causar problemas de saúde.

Apesar de essencial para a manutenção do organismo, o sal em excesso causa aumento da pressão arterial entre outras doenças

Por Camille Alves

O sódio, mineral presente no sal de cozinha, é responsável por algumas  funções importantes no organismo humano. Ele auxilia na manutenção da pressão sanguínea e dos fluidos corporais para que fiquem em níveis equilibrados. No entanto, seu consumo em excesso pode causar problemas de saúde. Segundo o Ministério da Saúde, o brasileiro consome cerca de 12 gramas de sal por dia. Essa quantidade representa mais que o dobro do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é menos de 5 gramas por dia.

Para Natalia de Morais Cunha, nutricionista residente do Hospital de Clínicas do Paraná, o excesso de sal pode causar diversos problemas. “Seu consumo demasiado está relacionado com o aumento dos níveis pressóricos, doenças cardiovasculares, renais e acidente vascular cerebral, principalmente em indivíduos hipertensos e idosos”. Ou seja, sal em excesso, além de aumentar a pressão arterial, pode causar diversos problemas como insuficiência renal, pedra nos rins, edema cerebral, insuficiência cardíaca, infarto e acidente vascular-cerebral (AVC).

Mas não é apenas o excesso de sal que é prejudicial. O consumo muito baixo de sódio também pode trazer malefícios. A falta dele no organismo causa a queda da pressão arterial. Segundo Natalia, tanto o excesso quanto a falta de sódio levam a modificações nas atividades endócrinas e neurais. “A desregulação desses processos pode causar alterações nos vasos sanguíneos para corrigir eventuais alterações na pressão arterial”, explica.

Como equilibrar o consumo de sal?

De acordo com Natalia, o consumo excessivo de sal está relacionado com o consumo de alimentos ricos em sódio como carnes processadas, sopas prontas, pães, frios, alimentos pré-prontos, molhos e temperos industrializados. Além disso, “estudos têm evidenciado que o consumo excessivo de sal está relacionado principalmente com a adição dele na culinária”, esclarece

Para contornar ou evitar a situação – tanto a falta quanto o excesso de sal –, a nutricionista recomenda modificar os hábitos alimentares. “É importante priorizar refeições compostas de alimentos in natura ou minimamente processados, como frutas, legumes, cereais, leite pasteurizado etc.”, indica. Além disso, ela dá a dica de substituir o sal por temperos naturais como salsinha, cebolinha, alho e cebola e aconselha a preparar as refeições em casa, evitando assim produtos industrializados como embutidos, enlatados, conservas, entre outros.

O sal vicia?

Natalia afirma que não existem evidências científicas de que o sal vicia, porém explica que a percepção gustativa pode influenciar no consumo. “Por exemplo para os homens, que tendem a ter um consumo de sal maior quando comparado com as mulheres”.

 

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *