Cultura brasileira contagia estrangeiros na Fifa Fan Fest

A Pedreira Paulo Leminski, local da Fifa Fan Fest de Curitiba, registrou público recorde na última segunda-feira, 23, durante a transmissão do jogo entre Brasil e Camarões. A vitória brasileira foi acompanhada por mais de 15 mil pessoas. Para os estrangeiros, os principais destaques do evento foram os shows da banda Jota Quest, da escola de samba Acadêmicos da Realeza e a roda de capoeira no Espaço Cultural.

Jeffrey Crouse e sua namorada surpreenderam os brasileiros com a energia e o samba no pé
(Foto: Thaíssa Falcão)

As atrações chamaram a atenção dos turistas estrangeiros, que participavam da festa, pela singularidade. O argentino Alan Morales,15, comenta que a capoeira representa todo o gingado do país verde e amarelo: “É uma manifestação cem por cento brasileira, inconfundível”. O australiano Josh Pearse concorda e admite que o samba é seu ritmo musical preferido. “Eu amo samba! Eu até tento dançar, mas não tenho o mesmo requebrado de vocês brasileiros”, brinca Pearse.

Morales conta que parte da sua família vive no Brasil e pratica a capoeira. “Eles me trouxeram aqui e fiquei impressionado ao ver a luta que parece mais uma dança”, afirma. O jovem diz também que planeja aprender: “Gosto muito da capoeira, quero praticar”. Pearse elogia, ainda, a energia do povo brasileiro e confessa: “Estou amando o Brasil e as pessoas daqui!”.

O samba agradou, também, os americanos. “Lá sempre ouvimos falar bem do samba. Mas aqui é muito melhor”, comenta Jeffrey Crouse, 21. De Kentucky, Crouse veio acompanhado de um grupo de amigos para fazer intercâmbio no Brasil há três semanas. Ele revela que se sente em casa no país e que sentirá falta daqui: “Eu não quero ir embora. A cultura brasileira é muito amigável, não me sinto um estrangeiro”.

Crítica

A ausência das escolas de samba na abertura da Copa do Mundo foi muito criticada tanto por turistas, quanto pelos brasileiros. “A abertura é um momento de festa, e a maior festa brasileira é o Carnaval”, opina Roberta Monteiro, 27, que esperava ver mais na apresentação. Na Fan Fest de Curitiba, essa foi a primeira apresentação de uma escola de samba. “Eu acho que fizeram certo em trazer a Acadêmicos da Realeza. Eles levantaram a galera e espero que venham mais vezes”, opina.

A festa

Com o maior público já registrado na Fan Fest da capital paranaense, a edição da última segunda-feira (23) surpreendeu turistas e o público local pela organização e segurança. A moradora de Curitiba, Cristiane Figura, 19, foi pela primeira vez ao evento e pretende participar mais vezes. A espera de duas horas e meia para conseguir a pulseira, segundo ela, valeu a pena: “Estava tudo muito organizado. Os ônibus que eu peguei para ir e voltar da Fan Fest vinham bem rápido e nunca muito lotados”, conta. Ela elogia, ainda, a agilidade para comprar alimentos e a redução do lixo, provocada pelo uso de copos reutilizáveis para as bebidas comercializadas no local.

You May Also Like