Cultura e tradição: como o Grupo Poltava mantém o legado ucraniano na capital paranaense

Para manter ativas suas tradições culturais, o Grupo Folclórico Ucraniano Poltava realiza a segunda edição da Poltavskyi Yarmarok, feira que traz apresentações artísticas, culinária típica e venda de artesanato

Por Ana Carolina Franco e Luana Lopes

Nos dias 02 e 03 de setembro ocorre a 2ª Poltavskyi Yarmarok – Feira de Poltava. O evento é realizado pelo Grupo Folclórico Ucraniano Poltava e comemora o 26º aniversário da Independência Ucraniana. Além da venda de comidas típicas e artesanato, a feira conta com apresentações de música e dança tradicionais.

A primeira edição da Feira Poltavskyi Yarmarok aconteceu em 2016, na sede do Clube Poltava (Foto: Divulgação)

A ideia da feira surgiu em 2011, após uma viagem do grupo para a cidade de Poltava, na Ucrânia, onde ocorre a maior feira agropecuária do país, a Sorochynskyi Yamarok. Lá são vendidos gado, trator, artesanatos e os típicos ovos pintados — chamados de pessankas. Victor Cordeiro é descendente de ucranianos e idealizador do evento. Ele conta que a ideia não deu certo inicialmente, até que em 2015 um projeto apresentado para a diretoria do grupo foi aprovado.

“Tudo indicava que seria um evento pequeno, mas a divulgação foi muito grande e o sucesso foi maior do que a gente esperava”, afirma. Segundo Cordeiro, o objetivo não é apenas divulgar o trabalho realizado, mas também proporcionar a integração com outros grupos culturais de Curitiba, como o Wisła – Grupo Folclórico Polonês do Paraná.

 

A perspectiva é que a Poltavskyi Yarmarok entre ainda este ano para o Calendário Cultural de Curitiba e os organizadores acreditam que a feira tem potencial para se tornar um evento tão grande quanto a Oktoberfest. “Agora que a gente começou vai ser difícil parar. A feira não morre mais”, garante Cordeiro.

 

Vivência


O Grupo Poltava é conhecido internacionalmente por suas apresentações de dança e é composto por aproximadamente 300 pessoas. Mas não são apenas descendentes de ucranianos que fazem parte: Wendelly Campos conheceu o grupo através de seu noivo, Lucas Gondro. Ela encontrou na dança uma forma de viver a cultura ucraniana. “Sempre fui bailarina clássica, mas o balé  não é algo tão vivido. Aqui é diferente, a gente vê a cultura e representa isso na dança. Por mais que eu não tenha ascendência, já estou vivendo essa cultura”, diz.

As apresentações de dança do Grupo Poltava são atrações frequentes da agenda cultural de Curitiba. (Foto: Divulgação)

Já Gondro tem contato com os costumes desde criança. Juntos, os dois dão aulas de dança para o grupo juvenil e infanto-juvenil do Poltava. O casal conta que já está se preparando para as apresentações da Feira. “Eu acho fantástico! Amo de paixão a dança e o folclore da nossa tradição. É uma alegria e um conforto. Eu sinto a dança que a gente está representando, sou fascinado”, afirma Lucas.

A sede do Grupo Poltava tem em sua estrutura salas de catequese, dança, coral e orquestra, além do palco onde são realizadas as apresentações e uma quadra. Durante os ensaios – que acontecem geralmente aos sábados – é fácil perceber a tradição familiar que envolve o grupo. “Meus irmãos participaram quando eram crianças e minha mãe participa da dança das senhoras. Eu sou descendente, e faz parte da tradição da minha família passar pela catequese, dança e bandura [instrumento tradicional da cultura ucraniana]”, diz Nicole Pastuch, dançarina do grupo juvenil. “É como se você não se importasse com nada que acontece fora daqui. Aqui, você representa a sua cultura”

SERVIÇO

2ª Poltavskyi Yarmarok – Feira de Poltava

Endereço: Clube Poltava – Rua Pará, 1035, Água Verde – Curitiba/PR

Data: Sábado e domingo, 2 e 3 de setembro

Horários: Sábado (02), das 10h às 22h, e domingo (03), das 12h às 20h

Ingresso: Gratuito

Mais informações: https://www.facebook.com/GrupoPoltava/

SalvarSalvarSalvarSalvar

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *