Curitiba Free Walking Tour: conheça o centro histórico a pé e de graça

O Curitiba Free Walking é um projeto sem fins lucrativos que busca mostrar a cidade para turistas e moradores de uma forma diferente

Por Camille Alves

Em uma manhã tipicamente curitibana – céu nublado e clima ameno -, o grupo de turistas se reuniu na Praça Santos Andrade, em frente à Universidade Federal do Paraná. Esse é o ponto de encontro para quem deseja participar do Curitiba Free Walking Tour, um passeio guiado pelo Centro Histórico da cidade, totalmente gratuito. O grupo seguiu pela Rua XV de Novembro e terminou na Boca Maldita, em uma caminhada leve que dura aproximadamente duas horas.

O Curitiba Free Walking Tour foi criado por Heloísa Coutinho e Rafael Caon, ambos formados em Turismo. Amigos de longa data, já trabalharam juntos em uma companhia internacional, e hoje possuem negócios próprios na área turística. Eles já haviam feito o passeio em outras cidades do mundo, e decidiram criar a versão curitibana em 2014 porque perceberam uma necessidade. “Nós fomos tomar um café e começamos a falar sobre o turismo em Curitiba. A Copa do Mundo estava chegando, e conversamos sobre algumas coisas que faltavam na cidade”, disse Heloísa.

Um dos problemas, para ela, era a falta de conhecimento dos próprios habitantes. “Se os turistas pedissem informações, as pessoas da cidade não saberiam responder. A gente tinha que fazer alguma coisa para mudar isso”, recorda. Por isso, o projeto nasceu – não apenas para turistas, mas também para que os próprios moradores conheçam a capital paranaense.

A voluntária Larissa Mehl mostrando ao grupo o Relógio das Flores, na Praça Garibaldi (Foto: Camille Alves)

 

ORIGEM

O conceito do Free Walking Tour nasceu em Berlim, em 2003, e foi criado pelo britânico Cristopher G. Sandeman, que percebeu que muitas pessoas — principalmente jovens — não se interessavam mais pelas tradicionais excursões em grupo. Por isso, fundou o Sandeman’s New Europe, uma modalidade de passeio pelo qual o turista só paga o que achar necessário. Esse modelo se espalhou por toda a Europa e, no Brasil, ele está presente no Rio de Janeiro, em São Paulo, Porto Alegre e, há cerca de 3 anos, em Curitiba.

Na capital paranaense, diferentemente da maioria das cidades europeias, o tour é totalmente gratuito, ou seja, o turista só paga se e quanto quiser. A ideia principal do projeto é usar uma perspectiva não convencional.

Ao contrário de excursões comerciais tradicionais, os voluntários do Free Walking apresentam a cidade de um ponto de vista crítico, e acrescentam seus próprios conhecimentos ao passeio. A arquiteta Mariluce Zepter, de 57 anos, que se tornou voluntária recentemente, compartilha seus conhecimentos da área de arquitetura e urbanismo para enriquecer o trajeto. Mais conhecida como Luce, mora em Curitiba há 9 anos e descobriu o projeto ao fazer pesquisas para a própria empresa no ramo de urbanismo. Viu, na página do Facebook, da necessidade de voluntários e decidiu tentar. “Não foi diferente do que eu já faço com meus amigos. Me senti à vontade”, disse Luce sobre seu primeiro tour.

Larissa Mehl, de 24 anos, é formada em Relações Internacionais. Especialista em assuntos sobre a América Latina, ela apresenta a história da formação do povo curitibano de uma perspectiva pouco falada: a dos indígenas e dos negros. Participante há quase 1 ano, quer mostrar Curitiba de forma crítica, promover reflexões, e não apenas “vender uma boa imagem da cidade”.

Ela também afirma que “o Free Walking é autossustentável”, porque não possui nenhum tipo de apoio ou patrocinadores. Como é algo gratuito, se mantém através de doações feitas pelos participantes ao final dos passeios. Segundo Heloísa, “é um projeto pessoal, além dos nossos trabalhos”; ou seja, ela, Rafael e os colaboradores trabalham apenas de forma voluntária e, por isso, a arrecadação é voltada totalmente à manutenção do projeto.

 

Um dos pontos de parada é o Museu na Rua, na Travessa Nestor de Castro, onde há painéis do artista curitibano Poty Lazzarotto (Foto: Camille Alves)

O que o diferencia de outras excursões convencionais é a capacidade de proporcionar uma perspectiva mais ampla da região, e não trazer apenas informações básicas ou históricas do lugar. “O turista vê além dos monumentos e tem uma relação melhor com a cidade porque ele entende mais, questiona mais, tem uma experiência mais rica. As pessoas saem transformadas”, celebra Heloísa.

 

Serviço

Curitiba Free Walking Tour: caminhada guiada gratuita pelo Centro Histórico de Curitiba

Para participar do passeio (que acontece todos os sábados, às 11h), é só confirmar presença através da página no Facebook, ou pelo número +55 41 98875-7721.

É possível agendar passeios em grupos em outros dias da semanas.

Mais informações no site ou Facebook

 

 

 

 

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *