Moda de identidade

No último final de semana, aconteceu em Curitiba a 5ª edição do LABmoda – Semana de moda em Curitiba. Com 17 desfiles de marcas, estilistas e estudantes de moda, o evento trouxe sua primeira edição conceito para o Galpão Thá Cultural. De acordo com uma das organizadoras, Andrea Caetano, o foco da edição é mostrar quem são as pessoas por trás da criação das roupas. ‘‘Queremos ampliar a visão artística do público e mostrar o RG dos estilistas, com suas referências e inspirações’’, explica.

O evento pretende ser uma vitrine de novos talentos e criações, feitas por estudantes e recém formados de cursos de moda e design. Em alguns casos é a primeira chance de um estudante trabalhar em uma coleção completa, lidando com conceitos, referências e identidade artística. Para a estudante de moda Joanna Brolhani (20), o LABmoda é uma maneira de abrir portas para quem esta começando. ‘‘É a primeira vez que venho e é muito legal poder trocar informações e conversar com pessoas importantes da área’’, afirma.

Além dos desfiles, o LABmoda também trouxe várias bandas e estandes de roupas e acessórios. Ao total foram nove bandas e três grupos de DJ’s que produziram toda a trilha sonora do evento. Entre uma apresentação e outra, o público pode conferir o som de bandas como Cacofônicos e Lenhadores da Antártida. Nos estandes, era possível encontrar espaços das marcas dos desfiles e outras pequenas lojas com camisetas descoladas, acessórios modernos e até mini-galerias de alguns estúdios gráficos de Curiba.

 

Em sua 5ª edição, evento movimentou o Galpão Thá Cultural. Foto: Divulgação

 

Desfiles

  •  Guerreira Contemporânea
    A estudante de moda Tayna Fajardo de Oliveira trouxe como inspiração a independência feminina. As peças tinham como foco a contemporaneidade e traziam varias tendências atuais em uma mesma coleção como o cropped top (top curto), transparências, vestidos desconstruídos e cores que iam do preto ao bege, passando pelo azul royal e detalhes em listras coloridas.

 

  •  Pele de Asno
    O desfile das estudantes do segundo ano de moda da Universidade Positivo veio cheio de personalidade, ambientando a coleção em uma atmosfera obscura e de suspense. As garotas basearam suas peças no conto ‘‘Pele de Asno’’ e conseguiram brincar com os conceitos de criação artística e estilo. As roupas eram compostas de couro com aviamentos de metal e tinham cores  que transitavam em tons escuros e neutros como o cinza, marrom, preto e verde musgo. Destaque para os capuzes que apareceram em toda coleção.

 

  • Festival Holi
    A dupla de veteranas de moda, Marcela de Quadros e Priscila Cabral apresentaram uma linda coleção baseada no Festival Holi (festival hindu das cores).  Com o Deus Krishna como referência principal, as estilistas trouxeram um universo cheio de cores como azul cobalto, dourado, preto e estampas florais e multicoloridas. Os tecidos utilizados foram principalmente o couro ecológico, o cetim, o panamá, o vogue e o chiffon.

 

  • Maasai
    Primeiro desfile com looks totalmente masculinos. Os estudantes de moda da Universidade Positivo, Brenda Farias, Felipe Birgman, Gabriella Pissolitto e Gabrielle Nogueira se basearam em uma tribo africana para construção das peças. Na passarela apareceram modelos semi-nus com peças que foram confeccionadas em tricô, crochê e macramê com modelagens justas.

 

  • W.Ritzdorf
    Com uma série de suspiros de desejo, a marca voltada para acessórios W.Ritzdorf trouxe uma série de peças especiais com formas geométricas justapostas.  A coleção também apresentou joias e artefatos de luxo desenvolvidos pela designer Fernanda Winckler e confeccionadas pelo experiente ourives Jair Winclek com materiais como ouro, pérolas e prata.

You May Also Like