R.U. central reabrirá na quarta-feira

manifestação ru 2
Estudantes se dirigem para reunião com a PRA (Foto: Bruna Remes)

Uma manifestação do Movimento Estudantil tomou o pátio da Reitoria da UFPR na tarde da última quinta-feira, 16, para exigir a reabertura do Restaurante Universitário (RU) Central, fechado desde o último dia 10, por suspeitas de contaminação da água. A aglomeração contou com cerca de 70 pessoas, entre estudantes, representantes dos Centros Acadêmicos (CAs) e do Diretório Central dos Estudantes (DCE); e foi finalizada em uma reunião com a Pró-Reitoria de Administração (PRA), que garantiu a volta dos serviços na próxima quarta-feira, dia 22.

De acordo com a organização, o intuito do ato era apresentar ao Reitor Zaki Akel Sobrinho um ofício com as deliberações acordadas pelos 26 CAs presentes ontem no Conselho das Entidades de Base (CEB) – evento mensal promovido pelo DCE com os Centros Acadêmicos para discussão e resolução democrática de problemas que envolvam o corpo discente. “Queremos a reabertura imediata do RU e a apresentação de um laudo técnico referente à contaminação da água”, declara Felipe Alves, de Ciências Sociais.

De forma pacífica, os alunos dos cursos de Ciências Sociais, Filosofia, História, Letras, Medicina e Psicologia seguiram cantando versos até o bloco onde fica o Gabinete do Reitor, mas tiveram sua entrada impedida pelos seguranças. Após 40 minutos sem respostas, um representante de cada curso foi chamado para conversar com a administração.

manifestaçao ru 1
Manifestação conduzida pelo Movimento Estudantil pela volta do RU Central (Foto: Bruna Remes)

Para a reabertura do restaurante é preciso comprovar, através de um parecer oficial, se houve ou não contaminação na tubulação de água, fazer a limpeza do local e  a avaliação pela Vigilância Sanitária. “O laudo fica pronto amanhã e iremos colocá-lo nas portas do RU. Nem que seja para o jantar, na quarta-feira ele vai abrir, com certeza”, garante o Pró-Reitor de Administração, Edelvino Razzolini Filho.

Até o funcionamento do restaurante se reestabelecer, a solução promovida pela PRA é o deslocamento com ônibus extras para os alunos realizarem suas refeições nos campi Jardim Botânico e Centro Politécnico. Os alunos argumentam que não é suficiente, uma vez que o deslocamento é prejudicial para o horário das aulas – além da própria demora no atendimento, porque os dois lugares não comportam o aumento da demanda. Como alternativa, uma das requisições dos manifestantes foi a distribuição de vales-refeições pela Universidade, já que o acréscimo de gastos não é compatível com o orçamento de muitos estudantes, especialmente os bolsistas. A ideia foi refutada pelo Pró-Reitor, que afirmou sofrer com o corte de verba causado pelo Ministério da Educação. “Nós não temos dinheiro, e o que vem é à conta-gotas”, lamenta.

You May Also Like