UFPR Cria seu Primeiro Plano de Arborização

Iniciativa para aliviar e organizar as demandas ambientais da SUINFRA gera discussão dentro e fora da universidade

Por Lais Adriana

Em abril de 2017 foi criada a primeira Comissão de Arborização da Universidade Federal do Paraná (UFPR),  responsável por elaborar um plano de arborização para os campi da universidade.  O projeto começou devido a diversos problemas  causados pela falta de planejamento e de manejo da arborização.  Na primeira fase, o plano envolve aplicar medidas emergenciais, como o corte de árvores que ameaçam a segurança de quem passa pelos campi da universidade e também das áreas ao redor.

O primeiro plano de arborização elaborado pela UFPR surgiu devido à várias demandas que chegavam a Superintendência de Infraestrutura (SUINFRA) da universidade. Entre os problemas relatados estavam danos materiais ao patrimônio da universidade;  danos pessoais e materiais a membros da comunidade acadêmica e a terceiros; aumento nos custos de manutenção; risco de queda de energia e acidentes graves com as redes de energia elétrica; entre outros. Segundo a arquiteta e urbanista Denise Martins Lopes, integrante da Comissão de Arborização da UFPR, o problema que serviu de iniciativa para a criação do plano foi uma notificação extrajudicial de um vizinho ao campus Agrárias, contra a UFPR, devido à queda de galhos em sua propriedade. “As solicitações de poda de árvores sempre foram feitas sem planejamento, em caráter emergencial. Então sentiu-se necessidade de organizar isso”, explica Denise. A realização do plano só foi possível devido a parceria entre a SUINFRA e o Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente e Desenvolvimento (NIMAD).

Lei Ordinária 9806/00 | Arte Elisa Chiarello

O plano ainda está em processo de elaboração, mas a primeira etapa já tem andamento. Isso consiste em cortar e podar as árvores que colocam em risco tanto a comunidade interna, alunos e servidores, como a comunidade externa da UFPR, além do patrimônio da universidade. Nesse primeiro momento o plano está sendo realizado nos campus Agrárias, Politécnico e Botânico.

A próxima passo, que está em construção, consiste em realizar a implantação do paisagismo nos campi e do plantio de novas árvores de espécies nativas da região. De acordo com Carla Maria Camargo Correa, engenheira florestal do NIMAD e presidente da comissão, o plantio de árvores nativas é uma exigência da legislação municipal. As solicitações de poda e de corte são enviadas para a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e para cada árvore cortada, a secretaria determina um número de árvores nativas a serem plantadas.

A fase emergencial, que consiste no corte  de árvores dos campi provocou discussão entre alunos em páginas do Facebook e atingiu até a comunidade externa da UFPR. A maior parte desses internautas afirmaram em seus comentários não entender o motivo para o corte de árvores. “Alguns ameaçaram se amarrar as árvores, além de  cortar as fitas de marcação que tem nelas”, relata Denise.

Internautas da comunidade interna e externa da UFPR utilizam as redes sociais para se posicionar contra o plano de arborização | Foto: Reprodução/Publicação do Facebook

Giuliana de Siqueira, aluna de engenharia Florestal da UFPR, participou de uma ação de plantio no Dia da Árvore e relata que as pessoas com quem conversou não eram contra o projeto, mas não entendiam o objetivo e a importância do plano de arborização. “Foi bom [participar do plantio] para explicar para os conhecidos as razões para o corte de algumas árvores, a poda, que estão planejando. Algumas pessoas não estavam entendendo e ficou mais esclarecido. Foi uma experiência muito gratificante”, conta Giuliana.

Para evitar novas dúvidas, Carla Correa explica que foram colocadas notícias no portal da UFPR. “Na medida do possível a gente tem colocado informações no site explicando o porquê das fitas e da necessidade delas”, informa Carla. Denise Lopes acrescenta que projetos e ideias dos alunos podem ser levados para a comissão. “Essas questões mais pontuais a gente vai tentar ir encaixando dentro desse planejamento mais global”, explica.

O prazo final para a execução dos serviços previstos no plano – cortes, podas e plantios – é abril de 2018, quando se encerra o contrato com a empresa responsável pelos mesmos.  Visto a necessidade de um trabalho permanente à respeito da arborização nos campus da universidade, a Comissão de Arborização está elaborando uma proposta para criar uma Permanente de Arborização.

Em caso de dúvidas sobre o plano ou sobre a Comissão de Arborização, você pode entrar em contato com a UFPR através do SUINFRA (3361-3288 ou suinfra@ufpr.br), NIMAD  (3361-3677) ou do Departamento de Ciências Florestais – DECIF (3360-4205).

 

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *